O CUIDADO

Quando vejo estes vídeos, me pergundo o que é o cuidado? O que exercemos é cuidado? Somos cuidadores em nossos serviços ou exercemos uma função repleta de rotinas naturalizadas compreendidas como cuidado?

Penso: Cuidado com o cuidado que anda por aí!

Retorno a pegunta inicial, o que é cuidado?

Em latim cuidado significa Cura.  Para BOFF (2005),  cura queria expressar a atitude de cuidado, de desvelo, de preocupação e de inquietação pelo objeto ou pela pessoa amada . Outros autores derivam o cuidado de  cogitare-cogitatus que é o mesmo de cura: cogitar e pensar no outro, colocar a atenção nele, mostrar interesse por ele e revelar uma atitude de desvelo, até de preocupação pelo outro. O cuidado somente surge quando a existência de alguém tem importância para mim. Passo então a dedicar-me a ele; disponho-me a participar de seu destino, de suas buscas, de seus sofrimentos e de suas conquistas, enfim, de sua vida.

Não podemos pensar e falar em cuidado como algo independente de nós, mas pensar e falar a partir de como o cuidado se realiza em nós e da nossa prática do cuidado, ou seja, o cuidado implica um modo de ser na relação com o outro, uma prática.

 Esta prática não deve ser uma prática qualquer, rotineira do serviço, naturalizada no serviço.
É necessário nos colocarmos em movimento, pois a vida é movimento, buscando uma prática singular, atenta as necessidades de cada usuário do cuidado no serviço e não uma prática naturalizada do serviço. Sendo assim, proponho o uso do termo usuário do cuidado e não usuário do serviço.
Esta prática não é ingênua, ela deve ser atravessada por saberes que não tutelem, vitimissem ou cristalizem o sujeito em um lugar, mas que causem ruptura com o instituído, despertem o desejo propiciando um campo de possibilidades, novas formas de ser e de viver.
Neste sentido, as práticas do cuidado como cura apontam para a potencialização da vida. Assim, os sintomas, as dificuldades do usuário podem até não desaparecer, mas passam há ser apenas uma faceta da sua vida, não toda sua vida.


Referência:

BOFF, Leonardo. O cuidado essencial: princípio de um novoethos, v. 1, no 1,  Brasília, 2005. Disponível em : http://revista.ibict.br/inclusao/index.php/inclusao/article/view/6/11. Acessado em 24 out. 2009.

AFIRMAÇÃO DA VIDA, CUIDADO, CURA

segunda 30 novembro 2009 15:57 , em Proc. de Subjetivação e Intervenção Psicossocial I



Nenhum comentário O CUIDADO



Seu comentário :

(Opcional)

(Opcional)

error

Importante: comentários racistas, insultas, etc. são proibidos nesse site.Caso um usuário preste queixa, usaremos o seu endereço IP (54.82.142.246) para se identificar     



Abrir a barra
Fechar a barra

Precisa estar conectado para enviar uma mensagem para educasaude

Precisa estar conectado para adicionar educasaude para os seus amigos

 
Criar um blog